MecânicaVoltar

MANUTENÇÃO PREVENTIVA
 
Para garantir um trânsito seguro, evitar acidentes e problemas inesperados com seu veículo, a prevenção é o melhor caminho. Uma coisa é garantida: peças do veículo irão falhar ou quebrar e os óleos utilizados perderão suas características iniciais, não cumprindo mais a sua função. Portanto, a questão não é se ocorrerá, apenas quando ocorrerá.
 
Por isso, não basta o carro ser equipado com itens de segurança modernos e confiáveis, é necessário criar o hábito de fazer regularmente uma revisão. Mas, infelizmente, a maioria só se lembra de levar o carro para oficina quando ele já está quebrado ou, pior ainda, quando um acidente já aconteceu.
 
A manutenção preventiva, como o próprio nome sugere, evita que potenciais problemas ocorram e possibilita a tomada de ações para aumentar a segurança e evitar acidentes, além de evitar gastos extras que ocorrem quando uma peça quebra em uso.
 
A verificação deve seguir a periodicidade ou a quilometragem recomendada no manual do carro. Existem alguns cuidados básicos de manutenção que devem ser seguidos para melhorar sua qualidade de vida no trânsito.
 
MOTOR
 
Cuidados básicos:
·         Motor não foi feito para receber água. Para mantê-lo limpo, use um pano úmido;
·         Use combustível confiável e não acelere forte sem necessidade;
·         Troque o filtro de combustível a cada 10 mil km;
·         Verifique o nível e troque o óleo e o respectivo filtro, conforme recomendado;
·         Peça para inspecionarem e troque periodicamente o filtro de ar;
·         Verifique e complete o reservatório de água;
·         Fique atento ao período de troca da correia dentada do comando de distribuição de válvulas, pois a quebra com o motor funcionando pode causar um grande prejuízo, oito ou mais vezes o custo de realizar a troca no momento recomendado.
 
Atenção aos sinais
 
Consulte seu mecânico de confiança se o carro apresentar os seguintes sinais:
·         Não pega, engasga ou apaga irregularmente;
·         Consome mais combustível;
·         Perde potência ou torque;
·         Esquenta mais do que normal;
·         Nível de óleo do motor varia mais do que normal;
·         Vaza óleo no chão da garagem;
·         Muda o odor dos gases de escape ou surge fumaça de cor diferente do normal (cinzenta azulada, preta ou branca);
·         Reservatório de água varia com frequência.
 
TRANSMISSÃO
 
Cuidados básicos
·         Não dirija com o pé sobre o pedal da embreagem;
·         Realize a troca de marchas com suavidade, sem trancos;
·         Verifique o nível de óleo do câmbio, conforme recomendado;
 
Atenção aos sinais

Consulte seu mecânico de confiança se o carro apresentar os seguintes sinais:
·         Patina nas trocas de marchas;
·         Roncos nos rolamentos ou estalos na juntas homocinéticas (pontas dos eixos);
·         Problemas nas coifas. Fique atento, porque as linhas com cerol cortam as coifas.
 
PNEUS E RODAS
 
Fique atento, controlando a calibragem (a cada 15 dias e antes de viagens longas) e o desgaste dos pneus. Dentre outros, esses fatores afetam a segurança e o consumo de combustível.
 
Para controlar o desgaste dos pneus, é preciso inspecionar a profundidade dos sulcos, que pode ser feita de uma forma prática: procure no “ombro” (lateral) do pneu uma marca triangular ou a sigla TWI ou o símbolo do fabricante. Siga o alinhamento dessa marca até o sulco e nele estará um ressalto, que é um indicador do desgaste. A altura da banda deve ser maior do que a desse indicador, caso contrário, o pneu já atingiu o limite, necessitando de troca.
 
Na hora da troca, procure pneus com a especificação indicada pelo fabricante, com menos de 5 anos de fabricação, montando-os no sentido de giro indicado. Para saber se tem menos de 5 anos, veja a data de fabricação que é indicada também no ombro do pneu, numa seqüência de códigos colocados depois da sigla DOT. Um deles são 4 algarismos dentro de um retângulo que pode ser, por exemplo, 1507, significando que pneu foi produzido na 15ª semana do ano de 2007.
 
O alinhamento, o balanceamento e o rodízio dos pneus precisam ser feitos dentro dos prazos recomendados pelo fabricante ou quando for repará-los ou trocá-los.
 
FREIOS
 
Cheque nas frenagens normais se o carro, trafegando em pista plana e reta, se mantém na mesma direção, sem puxar para os lados.
O sistema (pastilha, discos, mangueira e outros) precisa ser verificado, pelo menos, a cada 15 mil quilômetros. Atenção: o fluido de freio deve ser trocado, no mínimo, uma vez por ano ou a cada 15 mil quilômetros, na especificação indicada pelo fabricante.
 
DIREÇÃO
 
Cuidado com as trepidações e folgas. Em caso de direção hidráulica, controle o nível de óleo, com motor ligado.
 
SUSPENSÃO E AMORTECEDORES
 
Preste atenção aos ruídos do tipo “choque seco”. Leve o veículo a um especialista para checar os amortecedores a cada 30 ou 40 mil quilômetros.
Existe um método caseiro de testar os amortecedores: empurre o carro para baixo, sobre cada uma das rodas, solte e observe se ele oscila apenas uma vez, caso contrário, consulte um especialista.
 
ITENS DE EMERGÊNCIA E SEGURANÇA
 
Triângulo, macaco e extintor: saiba a localização e confira o estado ou a validade desses itens, antes de precisar deles.
Cintos de segurança e air-bag: troque, em caso de colisões, e verifique o estado do cadarço do cinto e a funcionalidade de seu fecho (deve travar e liberar sem problemas) e do sistema retrátil e trava (que mantém o cinto junto ao corpo e trava no caso de desaceleração forte).
 
NA ESTRADA
 
Estar com o carro em condições seguras é importante sempre, mas a preocupação deve ser ainda maior antes de sair para viajar. Para evitar problemas inesperados e acidentes, leve o veículo a uma loja especializada em manutenção e verifique: freios, suspensão, alinhamento, pneus, estepes, injeção eletrônica, carga de bateria, líquido de arrefecimento, faróis e lanternas. Prevenir é melhor do que remediar, portanto, antes de pisar na estrada faça um check-up geral.
 
VANTAGENS DA PREVENÇÃO
 
Além de aumentar a segurança viária e reduzir o número de acidentes, a prevenção também reflete no bolso. É muito mais barato fazer a manutenção preventiva do que a corretiva, pois são eliminados gastos desnecessários com problemas e defeitos no carro que poderiam ter sido evitados.
E ainda existem outras vantagens como a melhoria da qualidade de vida devido à redução do volume de poluentes, agilidade no tráfego porque serão evitadas as quebras de veículos e aumento do valor de revenda por melhores condições mecânicas.
Os motoristas precisam se conscientizar de que a manutenção preventiva é uma obrigação em relação a você mesmo e em relação à sociedade, pois ao trafegar com um carro sem inspeção adequada, estão colocando as suas vidas e das outras pessoas ao redor em perigo.
 
 
 
Av. Augusto de Lima, 1800 - Sls 1506-1507-1508 - Bairro: Barro Preto - Belo Horizonte/MG   Ver Mapa
CEP: 30190-003 Telefone: (31) 3425-6573 Fax: (31) 3425-6573 Email para contato: contato@jdvtreinamento.com.br